14 de fev de 2011

um silêncio de furto




ouvi que os gatos são encantados pelo silêncio
disso não se tem certeza
quem já os viu encantados?
pisam o chão tão indiferentes

mas um silêncio encantado há por trás
de quem anda em passos de se esconder
de quem quer descobrir
roubar a voz das coisas

são esses investigadores do mundo
chegam sorrateiramente pelas costas
desejam conhecer todos os segredos
querem encontrar os meus lados
voar sobre todas as terras
com a fala da minha voz

há neles um silêncio de furto
que poderia me fazer pensar que ouço a mim mesmo



fotografia sem crédito encontrada na net

4 comentários:

Lara Amaral disse...

Muito bom, Jefferson! O silêncio costuma ser sorrateiro e pega os poetas de jeito.

Beijo.

marlene edir severino disse...

Jefferson,

Que seria dos poetas sem o silêncio a tecer palavras, feito aranha na teia...

Um abraço,
marlene

Mirze Souza disse...

Fantástico, Jefferson!

Chamam-me a rainha do silêncio, e amo os felinos, justamente por este encanto de investigadores que tem, pela delicadeza no andar e pelo olhar de sabedoria!

Lindo poema!

Parabéns!

Mirze

teca disse...

O silêncio tem em si uma certa poesia...

Um beijo doce, poeta.