13 de dez de 2010

Quem repousa não fica em silêncio


quem repousa não fica em silêncio
não há nesse instante qualquer esforço
como faz quem se empenha em silenciar

quem pretende nele pensar se enreda
numa insistência de quem não esquece
numa calma fingida de quem se cala

quem repousa não busca o silêncio
se põe num assento como um cão
deitado numa calçada e tranquilo


*foto sem crédito encontrada na net

O poema "A partir de hoje não lhe trarei mais flores" foi publicado no blog "ao longe os barcos de flores" da amiga Amélia Pais. Muito grato. Adorável estar neste barco. Para quem quiser visitar: clique AQUI.

2 comentários:

Lara Amaral disse...

A quietude do corpo esconde muitos turbilhões de dentro.

Beijo, amigo!

lupuscanissignatus disse...

pousa


[e nos faz
levitar]



*abraço,
Jefferson*