23 de ago de 2010

ESTOQUE



chegou o vendedor e me disse
que não havia livro de poema
daquele poeta que lhe perguntei
lamentamos, senhor, mas não há
mas posso trazer outros livros

me disse ainda que os poemas
estariam em minhas mãos de imediato
viriam das pilhas da distribuidora
mas de imediato vi apenas livros
na estante acumulados, escondidos

nas camadas guardadas de poeira
no objetivo das contas de inventário
em que se somam horas, dias e anos
dentro de espaços em aparelhagem
entre folhas de livro atacado ou varejo

e assim continuou falando da breve
atualização dos acervos no estoque
armazenados em curto prazo de tempo.
a ele nem respondi, não esperei saber
contudo digo que de lá saí com um poema

antes só havia perguntado: poema?
eu vi, tu viste, ele viu e me deram
estoques, reservas enredadas.
mas nenhum poema nunca faltará
porque existe com ou sem falhas de loja

antes só havia perguntado: poema?
e me trouxeram quantidades
necessidades, fornecimentos.
mas a porta da livraria se abriu
esqueci o vendedor e o livro

e lembrei que a poesia não falta

por isso, de lá saí com este poema

19 comentários:

Lara Amaral disse...

Ah, que lindo! E para não ficarmos nos estoques, publicamos também aqui, onde nada pára. Salve os blogs! rs.

Adorei seu poema-crônica-reflexivo.

Beijo terno, boa semana!

Jefferson Bessa disse...

Agradeço as palavras, Lara! Concordo: os blogs não param e por eles nos lemos e nos comunicamos a qualquer hora. Uma dinâmica fantástica. Beijo. Boa semana. Jefferson.

Lídia Borges disse...

Os poemas estão em todo lado... Dentro dos livros estão os mais velhos que anseiam por visitas, para contar suas alegrias e tristezas. Os mais jovens passeiam-se por aí à espera de quem os faça crescer e ouse escrevê-los...

Um beijo

teca disse...

Gostei do seu poema palavreado!

Beijos e abraços.

Jefferson Bessa disse...

Teca, bom que tenha gostado ;-) Obrigado. Beijos. Jefferson.

Jefferson Bessa disse...

Lídia, todos os poemas são sempre bem-vindos! Os poemas nunca esperam, porque sempre fazem da falta a presença. Grato pela presença. Beijos. Jefferson.

Gerana Damulakis disse...

Bastante interessante e original, J.

Jefferson Bessa disse...

Gerana, um prazer a sua visita. Obrigado pelo comentário. Jefferson.

dade amorim disse...

Belo e exato, ainda que em sua boa linguagem poética. Poemas querem ser lidos, consumidos, assimilados, relidos e virados ao avesso. Poemas querem existir em pessoa e ser recriados. Por isso a gente publica na rede, não é mesmo?

Um beijo e muito obrigada por seu carinho, Jefferson.

dade amorim disse...

Belo e exato, ainda que em sua boa linguagem poética. Poemas querem ser lidos, consumidos, assimilados, relidos e virados ao avesso. Poemas querem existir em pessoa e ser recriados. Por isso a gente publica na rede, não é mesmo?

Um beijo e muito obrigada por seu carinho, Jefferson.

Jefferson Bessa disse...

Exatamente, Dade! Os poemas não faltam nunca, por isso estamos na rede. Fico muito feliz com sua visita. Muito grato. Beijo. Jefferson.

Zélia Guardiano disse...

Que poema interessante, Jefferson!
Muito original, com um desfecho bom demais: você saiu de lá com poesia...
Adorei!
Grande abraço!!!

Jefferson Bessa disse...

Zélia, obrigado pela sua leitura. Fazer um poema supriu a falta de não encontrá-lo. Um abraço. Jefferson.

formaxima.com disse...

Jefferson passei para conhecer seu blog ele é not°10, show, espetacular desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom
Ass:Rodrigo Rocha

Jefferson Bessa disse...

Rodrigo, obrigado pela visita! Muito bom que tenha gostado do blog. Abraços.
Jefferson.

nydia bonetti disse...

não encontramos os poemas? os poemas nos encontram. sabe que acredito cada vez mais nisso, jefferson - os poemas nos procuram e nós apenas os acolhemos. desta vez, "ele" te procurou dentro da livraria. :) adorei. abraço!

Jefferson Bessa disse...

Oi, Nydia! Quando os poemas chegam é de vez ;) E assim devemos acolher a todos eles. Muito grato. Beijo.
Jefferson.

Por que você faz poema? disse...

Há poesia nos supermercados,
nas farmácias,
nos restaurantes.
Há poesia "em tudo que eu vejo".

Jefferson Bessa disse...

Oi, Herculano! Concordo: a poesia aparece em todos os lugares, em todas as coisas, basta ficarmos atentos. Um abraço. Seja bem-vindo!
Jefferson.