12 de nov de 2009

Buscar


hoje ficarei em casa

de antemão sei que nada vou achar - não sairei

até iria se não buscasse nada, mas hoje insisto em procurar - como quando perco algo em casa

se tivesse perdido alguma coisa, não hesitaria a sair, é certo!

ainda que eu não encontrasse e provavelmente não encontraria. mas saberia o que buscar

pensei em inventar algo para procurar. hoje, contudo, não posso

então estou aqui e escrevo isto – e com isto escrito não busco nada

afirmo: ao terminar de ler nada encontrará. bastaria ler sem esperar nada; assim como eu escrevo isto

nem penso mais no que deve ter de agradável ou desagradável em não buscar

começo a curtir isto que não leva ao fim de nada

então fique certo de que não há nada aos pés do que se lê
no fim dele não há saída, porque não sairia por nenhuma porta que não tivesse entrado

não procuro saída

surge agora o que não busquei - não é contemplação, nem epifania
nem vou buscar saber o que é!

no entanto, eclode a forma de mim e por ela saio pleno.
basta ler:
é só não sair para conseguir sair, por isso agora sairei
vou à rua

(Jefferson Bessa)

* figura que representa o ajna

5 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

esta uma temática recorrente na sua poética, sair, ficar, buscar, etc., com tempo vai-se completar num romance sobre o interessente tema da dialética do homem com a rua...

Nydia Bonetti disse...

Se não sairmos - de nós ou de casa - a poesia mingua. Uma vez comentei com um amigo que a poesia que vem de fora pra dentro é sempre melhor do que a de dentro pra fora. Ele achou absurdo, mas eu insisto. Fora de nós é que as coisas acontecem. Dentro de nós, um horizonte tão limitado... Falo por mim :) Um abraço!

lupussignatus disse...

e.terna

demanda





*abraço,
amigo*

Ianê Mello disse...

Olá, Jefferson!

Fiquei feliz com a sua visita e adesão ao meu blog.

Gostei muito de seus poemas e já estou lhe seguindo também.

Descobri em minhas andanças pela blogosfera o blog de que você faz parte "Antologia Bloética" e gostei muito da proposta feita; inclusive foi lá que descobri você.

Gostaria de saber se a participação é livre ou se os poetas passam por algum tipo de seleção.

Você poderia me dar essa resposta?

Um abraço.

Jefferson Bessa disse...

Ianê,

fui ao seu blog em busca de seu email, mas não o encontrei. Quando puder me envie o seu. O meu se encontra no perfil do blog.
Fico feliz por ter gostado deste espaço.
Não sei informar certamente como participar da Antologia Bloética.
Me parece que é uma seleção feita pelo grupo, porque recebi um email pedindo autorização para a publicação e até então não conhecia o blog. Gosto muito também da proposta deles.

Beijos.

Jefferson.