19 de fev de 2013

TOPÁZIO




mas aquele topázio
no modo de ser bruto
que expõe e guarda
sobre a estante
nele há uma grandiosidade
uma força de convite
que se vê em seu olhar
e assim é por ser castanho,
buscando feito uma luz
que bem sabe minerar.
quando ao lado se senta
nada é estranho ao que se associa
é que entre a pele e a pedra
é que entre o corpo e a terra
há uma cor que se vê
que imagina e transa
no tom de ser moreno.

O poema Topázio foi publicado no blog Brasil em versos - AM. Agradeço ao editor Carlos Costa. Para visitar, clique aqui.

2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

seu poema é um topazio certamente bem mais belo que a pedra
--- é a pedra interna
internalizada
sob a pele

Fred Caju disse...

Muito massa, sobretudo a observações das cores.