21 de fev de 2015

HOJE ME DERAM DE LEMBRANÇA


hoje me deram de lembrança
poder me ver assim esperando
por muito da esperança saber
viram o ponto final da espera

o que se pode saber da espera?
de tanto esperar me esqueci.
mas sempre alguém me lembra
é quando me armam uma cilada:

de que vale esperar desesperado
se quem me disse zomba de ver?
nele me vejo nesse pobre real
diz que esperarei nesta espera 

esquecido, caminho lentamente
às vezes me sento, me levanto.
quando dizem, querem me assentar
espero demais, ainda me dizem

2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

CAMINHO NO SEU POEMA
como quem passeia num jardim
joias são flores e idéias
sonoridades

Jefferson Bessa disse...

Rogel,
seu caminho eu o ouço,
caminhando nos passos
a sua leitura