23 de fev de 2014

EU RIO O RIO





quando se diz eu rio
se abre no rir do rio,
lento na curva se vai
formas se encostam

na sua certa errância
o verbo assim existe
quando não se antepõe 
ao eu somente pessoal

quando o rio se alarga
passa calmo sem voltar
se abre rio nos lábios
o eu rio vai com o rio

à beira do verbo o som
de água na boca se faz
se desfaz o que estranha
escorre em língua de rio

não tem jeito, quem diz
eu rio não se diz de si
diz no rio e nele os lábios
passam pelo rio rindo


O poema "Eu rio o rio'' foi divulgado no blog de Rogel Samuel. A foto escolhida pelo amigo também aqui foi inserida por estar em perfeita harmonia com o poema.  Para visitar, clique AQUI
Com a mesma honra, informo que o poema foi publicado no blog Alma Acreana de Isaac Melo, clique AQUI.  Obrigado!

4 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

um belo poema seu com sua marca registrada! peço licença para postar amanhã no meu blog.

Jefferson Bessa disse...

Caro Rogel, você não precisa pedir licença. Terá sempre as boas-vindas neste blog. Mais uma vez agradeço!
Abraço.

ROGEL SAMUEL disse...

peço licença de publicar no ENTRE-TEXTOS

teca disse...

Precioso...

Beijo.