5 de jul de 2013

DISSE PRA ME ESPERAR

Este poema faz parte do grupo Carne e vendaval de Carnaval. Ao clicar neste título em Marcadores (na coluna ao lado), os outros poemas poderão ser lidos. 


Disse pra me esperar
Mas desceu a ladeira
Te vejo agora de longe.
Não quis me esperar
Fiquei assim sem eira
Nem beira e de monge
Fantasiado ao seu lado
Dança teu novo amor.
Mas agora não espero

Amor vai passando...
Vou descer a ladeira.
A chuva começou
Desmanchou o desespero.
Agora vou descendo...
No som da violeira
Vamos chovendo
Molhando e descendo
No acaso do Amor.

4 comentários:

teca disse...

Esse poema tem uma cadência deliciosa...

Beijos.

ROGEL SAMUEL disse...

que grande poeta você é, abre um mundo, revela um enredo

Mafalda Sofia Antunes disse...

Lindo poema,gostei imenso. Desejo um excelente fim-de-semana a ti amigo Jefferson. Beijinhos fofinhos!! http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

Fred Caju disse...

Amor é sempre acaso. Grande abraço!