21 de jul de 2012

POEMA NU nº 3


se distancia, mais longe embaça 
a distância não engana
depois da fumaça não te busco 


em ar de sombras te vejo certo
na visão que em mim te oscila
em linhas que molham ao longe


sobre a cama se deitam os olhos
por dentro d'água as mãos
por entre os vidros tua nudez


indo e vindo tão lento aos olhos
eu, deitado, não te vejo incerto
te vejo plenamente em banho



AGRADEÇO À AMIGA MIRZE PELA DIVULGAÇÃO DESTE POEMA (NU Nº 3) EM SEU BLOG. PARA VISITAR, CLIQUE AQUI.

2 comentários:

Mirze Albuquerque disse...

Tão linda essa descrição "embaçada" dos vidros, das visões....

Aplausos, POETA!

Beijos

Mirze

Lara Amaral disse...

Que bonito poema! Por vezes embaçada, por vezes clara, a imagem vai se tecendo na leitura.

Beijo.