17 de ago de 2011

NÃO SABEREI MAIS


não saberei mais de passados
que consideração o mundo tem com o que se fez do passado?

não saberei de futuros
que prenúncio conhece o mundo?
se o tivesse desenharia um futuro
que seria uma equação do presente e do passado
feito aquelas compensações que os homens acreditam
mas que o mundo desconhece

também não saberei de destinos
quem tem o destino nas mãos são os deuses
e os deuses não são o mundo.
os deuses são muito semelhantes aos homens
sonham e sonham que dominam a correnteza

de hoje em diante sou o mundo
o mundo desconhece e não tem rosto
sou, portanto, apenas um alguém
de braços cruzados
de costas viradas
sem saber

podem achar que essa é apenas a minha vontade
mas se enganam
não tenho vontades
o mundo não as tem
por que eu as teria?

se o mundo for um mar de rosas, assim o serei
se o mundo for tempestade, também assim o serei

pra quem não entendeu
de hoje em diante
sou mundo
pura e simplesmente mundo

4 comentários:

MIRZE disse...

Jefferson!

Um delírio de poema. Se pensarmos bem, está certíssimo esse pensamento.

" sou apenas um alguém de braços cruzados, de costas viradas, sem saber"

Fantástico! Dançar de acordo com a música que o mundo toca sem se importar com o passo.

Excelente!

Beijos, poeta!

Mirze

teca disse...

Então você vai dançar conforme o mundo?

Beijocas.

dade amorim disse...

Uma filosofia de vida em um poema.
Um grande abraço, Jefferson.

lupuscanissignatus disse...

mundi

vidências




*abraço,
Jefferson*