24 de jun de 2011

DIZENDO COMO UMA CRIANÇA





um homem me disse: o silêncio
é como experimentar a morte.
ouvi a assertiva feito uma criança.
sem qualquer dificuldade afirmei:
por isso nunca se sabe do silêncio
- a morte alguma vez foi sentida?
o que não se sente não é nada

o silêncio, nunca o sentimos
muito do que se acredita não existe:
é como pensar que se sente morto.
isso tudo ficou claro para mim
e o homem adulto, previsível, disse
você parece bastante doido.
respondi: sou doido feito criança

7 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Lindo, Jefferson!
Conteúdo apropriado para profunda reflexão!
Gostei demais...
Abraço, amigo.

Lara Amaral disse...

Loucura sentida, loucura apropriada! ;)

Beijo, adorei!

teca disse...

Silêncio de criança... tão sentido...

Um beijo.

maria azenha disse...

belo. muito.

beijo,

MIRZE disse...

Absurdamente LINDO!

Fefferson! Parabéns!

Beijos

Mirze

dade amorim disse...

Loucura muito a propósito, Jefferson.

Beijo.

lupuscanissignatus disse...

creio

no

silêncio



[e neste belo

poema que

bebe da

sua fonte]