28 de fev de 2011

como seguir apenas em um barco?


baixos e altos passam os desejos
pelo tamanho de corpos que vejo.
por entre tantas pernas e braços
como seguir apenas em um barco?

sempre aos olhos andam os traços
em muitos sinais morenos, espessos.
dentre as várias pessoas na rua
como poder idealizar uma?

só percebo em você a roupa que entra
se a hora do dia esfria ou esquenta.
mas sempre se desnudam aos olhos
nossos corpos fáceis que descem lisos.

por que todos os dias as pessoas
não se levam a sonhar em todas?

***

O poema de Rogel Samuel para Jefferson Bessa:

porque a beleza está
no imaginar

a imaginação é minha
dentro de mim

o que está fora é uma sombra
a sombra de uma sombra

como na caverna de platão

somos sonhos

os corpos passeiam pelos sonhos

pelo que somos

a lembrar

3 comentários:

Lara Amaral disse...

Sensual, ritmado, belíssimo! Muito bom de se ler!

Beijo.

ROGEL SAMUEL disse...

porque a beleza está
no imaginar

a imaginação é minha
dentro de mim

o que está fora é uma sombra
a sombra de uma sombra

como na caverna de platão

somos sonhos

os corpos passeiam pelos sonhos

pelo que somos

a lembrar

Mirze Souza disse...

Que beleza de diálogo poético!

Jefferson, adorei o seu questionamento e assim penso: "como seguir apenas um barco?"

Somos tantos e temos sombras, aí me identifiquei com Roger Samuel.

Dois poemas belíssimos!

Parabéns!

Mirze