21 de jun de 2010

FLOR NO COPO

fotografia de Josef Sudek
me lembro de uma flor
não foi posta em um vaso
mas em um copo cheio d’água.
sobre a mesa passava a existir
mais que qualquer outra coisa,
até mais se estivesse ali um ramalhete.
sobre a mesa a via sozinha.
também a colocavam à janela - lembro.
enchia soberana o espaço
meus olhares focavam a solidão
olhava e olhava como se uma forte luz
pairasse acima das pétalas
finais que ainda se abriam.
mas pensava nela que não sentia
nem reclamar podia.

depois a beleza da flor
se extinguia quanto mais e mais a via.
saída da terra, habitava agora a água
como se fosse aquática
para durar mais um ou dois dias
talvez horas, segundos.
para mim não era natureza
nem viva ou morta.
nunca entendi por que
era retirada de seu chão
que ficava logo atrás da porta
num jardim sem cercos.
seria apenas dar uns passos e olhá-la.
mas, não, sempre a retiravam da terra
para fazer habitar a água.

e assim a beleza da flor
se extinguia quanto mais e mais a via
num copo cheio d’água.
pensaram no ornamento
agradável e alegre da casa,
mas uma flor nunca sabe
que existe, nunca mesmo se sente
solitária dentro do copo,
mas eu que sinto
às vezes demasiado
em mim surgiu,
pela primeira vez me abriu
a solidão em mim sendo
com aquele branco da flor
fora da terra
dentro d'água
(JEFFERSON BESSA)

8 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

A solidão da flor que não sente, mas é sentida pelo poeta. Grande repercussão da flor em ti.

um beijo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Solidão
é um dos melhores temas...

Um abraço,
doce de lira

Gerana Damulakis disse...

JB: gostei tanto tanto que vou reler agora. Parabéns!

Wilson Torres Nanini disse...

A solidão lispectorana da flor aderida à beleza sem fim. Muito bom, meu caro!!!

Abraços!

dade amorim disse...

Inspiração em alta, Jefferson - um lindo poema.

Beijo.

adsmistr disse...

Belo poema! Belo!

nydia bonetti disse...

a solidão está em nossos olhos aquáticos e em nossos corações de terra - mas às vezes acho que "as coisas" sentem tanto quanto nós...
belo, belo, jefferson! beijos

Jefferson Bessa disse...

Grande satisfação tenho pela leitura e pelos comentários de todos. Muito grato! Abraços.