8 de mar de 2010

nenhum outro mundo me delicia


quando nu está ao meu lado
é da pele que tenho o perfume
na hora de sentir próximo

rasa respiração pelos fios
no crescente que o envolve,
mas desperto ao que me traz

cerrando meus olhos à noite
seu aroma não me embriaga
sozinha a mente se aquieta

braço firme que ao fluir
reconheço no fulgor táctil,
na textura a que simples atento

conduzido por suas linhas
sinto a presença em plenitude
nenhum outro mundo me delicia

*fotografia de Jefferson

9 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

poema que tem a sua marca registrada, seu "estilo" que, como porta, deixa entrar para a imagética de seus sonhos, digo, de sua arte. quando todos esses poemas estiverem um dia reunidos em livro veremos como todos evoluíram de uma só matriz. excelente poema amante, poema-corpo.

dade amorim disse...

Jpa dizia Lemminski que o essencial está sempre à flor da pele.
Beijo pra você.

Jefferson Bessa disse...

Sim, amigo, sua leitura sempre atenta diz tudo: todos esses poemas resultam de uma só matriz.
Sempre fico muito honrado e feliz quando recebo um comentário feito por você. Sinceramente agradeço.
Jefferson.

Jefferson Bessa disse...

Adelaide, obrigado pela leitura. à flor da pele muitos mundos podemos sentir.
Um grande abraço. Jefferson.

Nydia Bonetti disse...

Duas vozes que dialogam. É isto mesmo? Gostei muito Jefferson. Abraços.

Gerana Damulakis disse...

Versos que dizem para alguém. Parabéns, J.

Jefferson Bessa disse...

Nydia e Gerana, tão bom recebê-las aqui. Obrigado pelo comentário.
Um excelente fim de semana. Beijos.

Gisela Rosa disse...

Gostei muito "seu aroma me embriaga"


beijo

Jefferson Bessa disse...

Gisela, um prazer recebê-la por aqui. Obrigado.

Beijos