20 de nov de 2009

Encontros


foto encontrada na net sem referência

nada origina um movimento

nada por si se move

nada o outro move sozinho

nada se move sem mover

nada sem mover é movido.

sem motores, sem ação

inércia ou lugar

nada vive em solidão.

5 comentários:

Moacy Cirne disse...

... mas o (bom) poema se move,
pois, de uma forma ou de outra,
"nada vive em solidão".

Um abraço.

Angélica Lins disse...

Aqui, até o que não move nos mobiliza.
Adoro mover-me por aqui.

Nydia Bonetti disse...

Teu poema me fez lembrar a "Teoria do Ímpeto" e a dos "corpos preguiçosos".

Ai, ai... Sempre misturo física e poesia. Em algum lugar, elas se encontram.

Adorei, Jefferson! Abraço!

Ianê Mello disse...

Lindo poema!

Parabéns pelo blog!

Quanto ao e.mail, quase não o utilizo.
A melhor forma e mais rápida de se comunicar comigo é através do blog, pois acesso ele todos os dias.

Beijos

lupussignatus disse...

a deslocação

do

ser



[astro
sem
sol]



*abraço,
amigo*