27 de set de 2009

Versos de Agora



num dia desses em que tudo é simples

disseram-me sobre as musas

pensei então que me poderiam dar um presente

- e me saiu um sorriso no canto da boca –

então quis abrir o esquecimento.



e assim me fizeram lembrar do que esqueço

contudo aqui não tenho o que tirar da memória

abro então o presente

e me chegam versos de agora

esses que têm os passos nas palavras

6 comentários:

Cláudio Schuster disse...

Obrigado por este poema tão bom de ler neste domingo chuvoso de Floripa...

Abraço!

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

...por aqui o verão esqueceu-se de partir , e a este facto juntou as eleições , quentes é claro , mas veremos ... No entanto, não é isso que me traz , o que me chegam « são versos que têm os passos nas palavras ...
Um sorriso às musas de ironia talvez ... e ainda bem !
Um abraço,
JEFFERSON
______ JRMARTO

Chris disse...

No momento do "Agora" encontramos o sentido de todas as memórias...
Um abraço
Chris

Bezerra Guimarães disse...

A caixa das coisas esquecidas...
Ora, que grande ventre a memória...

Abraços,
Belo poema!

Wallace Fernandes disse...

:-)

Jefferson Bessa disse...

Agradeço a leitura de Claudio Schuster, Jose Ribeiro Marto, Chris, Bezerra Guimarães, Wallace Fernandes. Um grande abraço.
Jefferson